Ecossistema local se une para trazer Web Summit a Porto Alegre em 2022

A decisão deverá ser tomada em dezembro, mas a campanha já começou.
 
Desde que Paddy Cosgrave, CEO e cofundador do Web Summit, publicou uma mensagem na sua conta do Twitter anunciando que Porto Alegre e Rio de Janeiro estão na disputa para se tornarem em 2022 a primeira cidade sul-americana a sediar o evento, a mobilização de empreendedores e ambientes de inovação se intensificou nas redes sociais.
“Sabemos que teremos que escolher entre essas duas cidades incríveis.
 
O que vocês acham?”, disse Cosgrave, engajando seus seguidores na escolha. O governador Eduardo Leite foi um deles, e aproveitou para dar as boas vindas do Rio Grande do Sul ao Web Summit. Cinco países estavam na disputa para receber a edição sul- americana do Summit, e o Brasil foi o escolhido.
 
“O ecossistema gaúcho de inovação tem evoluído muito nos últimos anos a partir de ações verdadeiramente integradas entre os diversos atores que fazem parte dele. E Porto Alegre vive um momento muito legal de colaboração e convergência nesta área. Estar entre as duas cidades selecionadas para trazer um evento do porte do Web Summit reflete este momento e este movimento. É um reconhecimento que mostra também a maturidade que o ecossistema está atingindo”, afirma Rafael Prikladnicki, gestor de relacionamento e negócios do Tecnopuc.
 
A expectativa é que o evento seja realizado em meados de 2022. O Rio Grande do Sul vinha trabalhando desde setembro de 2019 para trazer o Web Summit, quando foi divulgado que o Brasil estava no páreo. Desde lá, foram mantidas diversas conversas com a equipe do evento e o governo do Estado entregou um dossiê apresentando o ecossistema de inovação gaúcho.
 
Inclusive, foi apresentada uma alternativa de local a ser realizada a conferência, já que a organização do Summit exige uma área de 22 mil metros quadrados. A ideia é usar a Orla do Guaíba em conjunto com outros ambientes de inovação locais.
 
“Temos um ambiente muito propício a receber um evento como o Web Summit. Há uma grande sinergia entre os atores do ecossistema. Governos, universidades, empreendedores e sociedade civil organizada, de uma maneira geral, estão todos alinhados na mesma direção. Acreditamos muito que um evento dessa dimensão colocará nosso Estado e nossa cidade num novo patamar. Será um marco”. projeta Thiago Ribeiro, executivo da 4all. 
 
A empresa apoiou desde o início a construção da candidatura da cidade, como a preparação do material utilizado e a interlocução com os diversos atores do ecossistema gaúcho e junto aos responsáveis pelo evento.
 
O secretário de Planejamento, Governança e Gestão e líder do governo na força-tarefa, Claudio Gastal, conta que estava tudo preparado para uma visita de Cosgrave à cidade, quando ele iria visitar diversos espaços de inovação locais e até participar de um Grenal, para acompanhar a logística do fluxo de pessoas.
 
Mas, com a pandemia, a visita foi cancelada – Porto Alegre foi a única entre as cidades candidatas na época que ele não pode conhecer e, ainda assim, foi a finalista, sinal de que a lição de casa foi bem feita por todos. “Acredito que temos total capacidade de sediar o evento e o fato de estarmos entre as duas finalistas demonstra que já somos um hub de inovação e tecnologia referência na América do Sul”, diz.  
 
O CEO do Instituto Caldeira, Pedro Valério, comenta que a simples menção de Porto Alegre como possível destino do Web Summit 2022 celebra esse importante momento vivido pela cidade. “Temos startups de destaque, grandes corporações orientadas para a transformação digital, universidades alinhadas com a pauta da inovação, além do poder público atento aos impactos e oportunidades que a nova economia gera em nossa sociedade.
 
A consolidação da cidade como um ecossistema de inovação global não é algo simples ou rápido, mas movimentos como os do Instituto Caldeira e de tantos outros atores que temos observado mostram o comprometimento de todos e vão acelerar essa caminhada”, destaca.
 
O Web Summit acontece tradicionalmente em Lisboa, Portugal, e já expandiu com edições nos Estados Unidos e na Ásia. Em novembro de 2018, o ministro de Portugal, António Costa, revelou que Lisboa continuará a ser a cidade anfitriã do Web Summit para a próxima década. O acordo inclui investimentos do governo local na ordem de € 110 milhões para uma expansão em grande escala para facilitar o rápido crescimento da conferência.
 
 
 
Fonte: Jornal do Comércio
 
25 de novembro de 2020

NOTÍCIAS RECENTES

Associados

Parceiros

Assessorias