Jovens brasileiros preferem atividades mistas de desenvolvimento profissional

Levantamento da consultoria Eureca ouviu mais de 1.100 pessoas para entender qual é a percepção sobre a educação fornecida pelas instituições de ensino e sobre oportunidades de desenvolvimento oferecidas pelas empresas

A Eureca, consultoria que conecta e desenvolve jovens para o mercado de trabalho, realizou a sétima edição da pesquisa The Truth. Desta vez, o objetivo foi investigar como os jovens se sentem a respeito do desenvolvimento profissional e como as empresas e instituições de ensino colaboram para esse crescimento. Além do modelo em que isso seria melhor, se no online, no presencial ou misto.

O levantamento analisou mais de 1.100 reflexões enviadas por jovens com média de idade de 24 anos e de todas as regiões do Brasil. As respostas foram coletadas durante o mês de Julho e as análises dos dados consolidadas em Setembro. Entre todos os entrevistados, 63% se declaram do gênero feminino. 40,1% dos respondentes se identificam como negros. Dos mais de 1.100 pesquisados, 600 estão em busca de oportunidade no mercado de trabalho.

83,79% dos jovens preferem ações de desenvolvimento mistas, combinando online e presencial

Desses, 50% preferem que as ações sejam mistas, porém com predominância de atividades presenciais. 19,4% optam por ações online e presenciais em igual medida e 13,96% preferem mais ações online. 14% preferem apenas ações presenciais e 2% apenas ações online.

Para 70,2%, a universidade, somente, não é o suficiente

Entre os principais pontos identificados pela pesquisa, 2/3 de jovens acreditam que a universidade não é o suficiente para se preparar para o mercado. Segundo os respondentes, o verdadeiro desenvolvimento profissional acontece dentro do mercado, com experiências reais.

Porém, em um cenário totalmente atípico por conta da pandemia, ajustes nas oportunidades de desenvolvimento oferecidas pelas empresas são necessários. Por exemplo, de acordo com os jovens, por conta da pandemia de Coronavírus contextualizado com o atual cenário de home office, 1/3 das empresas precisam atualizar seus programas de desenvolvimento ou os canais e ferramentas escolhidos para entregar esse tipo de conteúdo.

Segundo Gabriel Viscondi, Chief Growth Officer da Eureca, a maior lacuna de desenvolvimento, na visão dos jovens, está na formação do pensamento crítico, tomada de decisão nas empresas e criatividade: 60% dos jovens vêm essas habilidades como necessárias, mas apenas 40% acreditam que já as desenvolveram o mínimo suficiente para atuar no mercado. “É preciso que as empresas tenham um olhar mais orientado a dados em programas de desenvolvimento, cruzando o atual momento de mundo, as necessidades do negócio e as necessidades dos jovens talentos.”, completa.

Impacto da pandemia na preferência por canais online

48,14% dos entrevistados estão mais interessados por programas de desenvolvimento online após a pandemia. 28,62% não tiveram sua percepção alterada e 23,24% estão menos adeptos a programas online após a pandemia.

Microlearnings como forma de amplificar o aprendizado

82,3% dos respondentes acreditam que ter acesso a vídeos e textos curtos relacionados a conteúdos de treinamentos formais ajudaria a aumentar o aprendizado do programa. Programas baseados em microlearnings surgem como uma sugestão nesse cenário, em especial devido ao contexto de distanciamento social.

Insights

De acordo com Augusto Nogueira e Guilherme Ceballos, responsáveis pela realização da pesquisa, as principais sugestões para os RHs com base na pesquisa são:

Ganhe escala e reduza custos:

Com a maior abertura para canais digitais de aprendizagem e hábitos de estudo frequente, os RHs podem introduzir processos de aprendizado mais digitais, tais como microlearnings, em seus programas de desenvolvimento.

Primeiro dê acessibilidade, depois cobre:

Apenas cobrar aprendizado dos jovens neste momento não será efetivo. Dar o suporte, seja através de comunidades práticas e grupos de estudo, facilitando o acesso a internet ou dando uma rede de suporte emocional para os jovens, é o primeiro passo.

Converse com seus jovens talentos: 

Quais são as habilidades abordadas em seus programas de desenvolvimento? A forma de trazer essas habilidades conversa com o seu público? É necessário ter programas de desenvolvimento atualizados em conteúdo e canal. Você pode começar perguntando para seus clientes internos, seus jovens talentos, o que eles preferem e quais melhorias enxergam.

Revisite as etapas do seu processo seletivo:

Em termos de habilidades avaliadas, existe um distanciamento entre exigências e necessidades na visão dos jovens. Você pode revisitar quais habilidades realmente são necessárias para ocupar cada posição e o que é apenas status quo na seleção.

Assuma responsabilidade social:

Grande parte dos jovens acreditam que o ensino superior não os prepara para o mercado. Isso é prejudicial para eles e para o País, que já acumula, de acordo com o IBGE, 10,9 milhões de jovens que não trabalham e não estudam. Você pode, de alguma forma, ajudar esses jovens a se capacitarem para o mercado num geral ou especificamente para sua empresa?

 

Fonte: InforChannel

10 de outubro de 2020

NOTÍCIAS RECENTES

Associados

Parceiros

Assessorias