Marchezan sanciona lei que cria Fundo Municipal de Inovação e Tecnologia

O prefeito Nelson Marchezan Júnior sancionou, nesta sexta-feira, 26, a lei de origem do Executivo que institui o Fundo Municipal de Inovação e Tecnologia de Porto Alegre (FIT/POA). O fundo servirá para estimular e apoiar projetos para geração de um ambiente propício à aceleração de startups que desenvolvam soluções inovadoras para desafios e problemas da cidade. O próximo passo será a assinatura, na semana que vem, do decreto municipal instituindo o Comitê Gestor, que será composto por representantes do poder público, setor econômico e universidades.

“Os recursos deste fundo terão uma destinação específica. Serão direcionados para financiar inovação de interesse público e retornarão em serviços para melhorar a vida da população” – Prefeito Nelson Marchezan Júnior.

Segundo Marchezan, a Capital já é uma referência nacional na área de inovação, pois abriga um rico e diverso ecossistema que inclui universidades de ponta, ambientes de inovação de classe mundial e uma abundância de talentos e conhecimento. Porto Alegre é a quarta cidade do país com maior número de startups – são 552, segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartups).

“Por ironia do destino, justamente dentro de um cenário de pandemia, Porto Alegre sanciona a lei que cria o fundo de inovação. A inovação existe para solucionar problemas. A inovação é o remédio para tratar desafios como a Covid-19, e prevenir também. Porto Alegre larga na frente para se posicionar como um centro para atrair talentos, estimular empreendedorismo e tecnologia”, diz o presidente da Fábrica do Futuro, Francisco Hauck.

O coordenador do Pacto Alegre, o professor Luiz Carlos Pinto da Silva Filho, comemora a sanção da lei e diz que é grande a expectativa de a Capital passar a contar com um instrumento de fomento à inovação que chame a atenção para os desafios urbanos. “A criação do fundo é um avanço importante, é a implantação de um trabalho conjunto com outros fundos para fomentar soluções inovadoras com base no ecossistema de Porto Alegre. É um sinal para os criativos que eles podem apostar na cidade”, ressalta.

Vanguarda – Para o superintendente de Inovação e Desenvolvimento da PUCRS, Jorge Audy, o FIT/POA é uma conquista do ecossistema de inovação da Capital. “O fundo dará oportunidade a jovens empreendedores e colocará Porto Alegre na vanguarda de apoio às startups nacionais”, destaca. Um desses empreendedores é o CEO e fundador do Poa na Rua, Guilherme Pureza Fraga. “Acredito que o público e o privado podem andar lado a lado. O Estado pode tirar proveito dessas novas ideias”, afirma Fraga, que já prepara novidades para a startup quando a cidade retomar a normalidade pós-pandemia.

Para o diretor de Inovação da Prefeitura de Porto Alegre, Paulo Ardenghi, a criação do FIT/POA fortalecerá o surgimento de novos negócios, o empreendedorismo e a inovação.

Saiba mais – O FIT/POA poderá remeter valores de até 1% dos recursos totais de origem pública municipal a cada startup selecionada nos programas de aceleração, com a possibilidade de complementar o valor por outros meios de co-investimento. Também poderá destinar seus recursos no limite de 40% do valor total do projeto contemplado às startups selecionadas nos programas de aceleração, igualmente com a opção de complementar valores por outros meios de co-investimento. Somente dez startups poderão receber do FIT/POA, de forma simultânea, o valor máximo permitido individualmente.

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre

26 de junho de 2020

NOTÍCIAS RECENTES

Associados

Parceiros

Assessorias