Nova pauta do Governo inclui temas estratégicos para TICs

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, anunciou nesta segunda-feira, 19/02, uma lista de 15 projetos na área econômica que o governo tentará aprovar no Congresso Nacional, já que a tramitação da reforma da Previdência foi suspensa em razão de decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro.

A legislação proíbe, durante vigência de intervenção federal, a aprovação de emendas à Constituição. A reforma da Previdência foi apresentada como uma PEC e a intervenção no Rio, na área de segurança pública, tem previsão de durar até 31 de dezembro deste ano.

O anúncio foi feito em entrevista concedida no Palácio do Planalto. Entre os projetos, constam a regulamentação do teto remuneratório, a privatização da Eletrobras e a autonomia do Banco Central.

Pauta prioritária do governo:

Reforma do PIS/Cofins e a simplificação tributária
Autonomia do Banco Central
Marco legal de licitações e contratos
Nova lei de finanças públicas
Regulamentação do teto remuneratório
Privatização da Eletrobras
Reforço das agências reguladoras
Depósitos voluntários no Banco Central
Redução da desoneração da folha
Programa de recuperação e melhoria empresarial das estatais
Cadastro positivo
Duplicata eletrônica
Distrato
Atualização da Lei Geral de Telecomunicações
Extinção do Fundo Soberano

Além de Padilha, participaram da entrevista os ministros Henrique Meirelles (Fazenda), Dyogo Oliveira (Planejamento) e Carlos Marun (Secretaria de Governo). Os líderes do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro, no Senado, Romero Jucá, e no Congresso, André Moura, também participaram.

Segundo Padilha, o governo definiu a nova pauta a partir das falas dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira, sobre a suspensão da tramitação da reforma da Previdência. “Tivemos que concluir que efetivamente não se poderia iniciar a discussão que nós tínhamos programada para dia 19, a discussão da reforma da Previdência e nem poderíamos encaminhar votação”, completou Padilha.

Dos 15 projetos eleitos pelo Governo Temer, quatro têm impacto direto no setor de TIC. Para o setor de Telecom, a boa nova é a prioridade dada à atualização da Lei Geral de Telecomunicações, que está parada no Senado Federal. Para TI, o projeto é mais desconfortável.

Volta à pauta, a redução da desoneração da folha de pagamento. Também está como projeto o reforço das agências reguladoras. Um projeto promete trazer preocupação: a Reforma do PIS/Cofins, se ela vier a mexer com o setor de serviços.

Fonte: Convergência Digital 

*Com informações do G1

19 de fevereiro de 2018

NOTÍCIAS RECENTES

Associados

Parceiros

Assessorias