Randon e 4all anunciam fintech

O Grupo Randon, um dos maiores conglomerados industriais do país, e a 4all, dona de nove startups nas áreas de pagamento e mobilidade, estão lançando uma fintech.

Chamada inicialmente de “projeto R4”, a nova empresa atenderá o segmento de logística e transportes.

As operações terão início no primeiro trimestre de 2021, com os testes dos serviços oferecidos pela companhia.

O que exatamente o “projeto R4” vai fazer e qual é o modelo de negócio entre as duas empresas não está bem claro.

Em nota, as empresas afirmam que a nova operação trará “soluções tecnológicas que permitem a realização de diferentes serviços financeiros” citando como exemplos a realização de pagamentos diversos, emissão de boletos e cobranças, transferências financeiras, entre outros.

O site da R4 afirma anuncia uma “solução de banking para o setor lógistico”.

“Ofereça de forma simples e flexível contas digitais e produtos financeiros com a sua marca, conectando toda sua cadeia de negócios”, promete o site.

O líder do projeto R4 será Cleber Sanguanini, um executivo de carreira da Randon, onde começou em 1989 como assistente administrativo.

Nos últimos anos, Sanguanini atua como gerente comercial e de marketing da Randon Consórcios, um braço financeiro da Randon.

“Tanto o transportador individual quanto o grande frotista demandam inúmeras transações diariamente. Estamos criando um conjunto de serviços, com soluções que estarão ao acesso de todos e com a credibilidade de marcas tradicionais, como as Empresas Randon”, destaca Sanguanini.

A Randon, que tem empresas de autopeças, implementos rodoviários e veículos, tem acesso aos clientes, além do Banco Randon, que atuará como instituição bancária liquidante para as transações financeiras.

A 4all deve entrar com a expertise de pagamentos e desenvolvimento de software.

Essa é a área do fundador da empresa, José Renato Hopf, que foi fundador da GetNet, uma companhia de máquinas de cartão vendida para o Santander por R$ 1,15 bilhão.

“A união com a Randon nos enche de orgulho e, ao mesmo tempo que agrega uma marca de muita tradição, nos desafia a construir uma solução para um setor com grandes desafios de tecnologia. Temos convicção que essa iniciativa chega para transformar o mercado brasileiro de logística”, afirma Hopf.

O approach inicial da 4all quando da fundação, em 2015, era focado no público B2C com metas de atingir uma massa de milhares de usuários em um espaço relativamente curto de tempo, o que parece ter saído um pouco dos planos.

Nos últimos tempos, a companhia tem apostado em projetos B2B, como fornecedora de tecnologia, atendendo clientes como Zaffari e Lojas Lebes, por exemplo.

 

Fonte: Banguete

03 de dezembro de 2020

NOTÍCIAS RECENTES

Associados

Parceiros

Assessorias