Setor de TIC lidera transações e fusões e aquisições, conclui estudo

Estudo feito pela KPMG mostra que do total de fusões e aquisições registradas no primeiro semestre deste ano (543), foram registradas ainda transações do tipo CB1 realizadas por empresa estrangeira adquirindo brasileira que chegaram a 140; 31 CB2 (brasileira comprando de estrangeiro empresa no exterior), 8 CB3 (brasileira adquirindo, de estrangeiros, empresa no Brasil), 11 CB4 (estrangeira adquirindo, de estrangeiros, empresa no Brasil) e 13 CB5 (estrangeiro adquirindo, de brasileiros, empresa no exterior).

O número de fusões e aquisições domésticas realizadas nos seis primeiros meses deste ano teve um aumento de mais de 45% em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo pesquisa da KPMG. No primeiro semestre, foram feitas 340 transações deste tipo, envolvendo apenas empresas brasileiras, contra 232 no ano passado. Já o número total de negócios fechados nesse período, em 2019, foi 543 contra 461 em 2018, um aumento de 17%.

De acordo com o levantamento, do total de fusões e aquisições registradas no primeiro semestre deste ano (543), foram registradas ainda transações do tipo CB1 realizadas por empresa estrangeira adquirindo brasileira que chegaram a 140; 31 CB2 (brasileira comprando de estrangeiro empresa no exterior), 8 CB3 (brasileira adquirindo, de estrangeiros, empresa no Brasil), 11 CB4 (estrangeira adquirindo, de estrangeiros, empresa no Brasil) e 13 CB5 (estrangeiro adquirindo, de brasileiros, empresa no exterior).

“Os números mostraram que houve um aumento considerável de transações do tipo doméstica, ou seja, realizada entre empresas brasileiras. As negociações fechadas por elas refletem um maior apetite para investimentos no longo prazo por estas empresas, decorrente de uma melhor previsibilidade do cenário econômico brasileiro”, analisa o sócio da KPMG, Luis Motta.

Top 5

A pesquisa da KPMG mostrou ainda os setores que mais se destacaram no primeiro semestre deste ano. Entre os cinco primeiros estão os seguintes: companhias de internet com 116 operações fechadas neste período, seguidas por tecnologia da informação 61, imobiliário com 38, empresas de energia com 29, hospital e laboratório de análise clínica com 29, e telecomunicação e mídia 24.

“Entre os setores pesquisados, o destaque foi para o imobiliário que teve um forte crescimento este ano, passando de dez operações fechadas no primeiro trimestre para 28 no segundo. Para se ter uma ideia, nos primeiros seis meses de 2018, esse segmento havia acumulado apenas sete transações”, afirma o sócio.

Pesquisa – Fusões e Aquisições da KPMG
2019 2018
1º trimestre 250 234
2º trimestre 192 227
Acumulado 543, sendo 340 domésticas 461, sendo 232 domésticas

Fonte: IPNews

06 de setembro de 2019

NOTÍCIAS RECENTES

Associados

Parceiros

Assessorias