STJ proíbe uso de notebooks pessoais para evitar novo ataque hacker

O Superior Tribunal de Justiça proibiu o uso de notebooks pessoais até segunda ordem para evitar um novo ataque hacker, informou o presidente da Corte, Ministro Henrique Martins, em comunicado publicado no site.

O informe não diz se os celulares também estão proibidos, mas ressalta que a decisão foi da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação, com a colaboração do Comando de Defesa Cibernética do Exército brasileiro e do Serpro, que estão na força-tarefa da retomada das atividades.

No informe, o STJ diz que os serviços foram reestabelecidos, como o Portal da Intimação Eletrônica, a página da Intranet e toda a rede de telefonia. O serviço de peticionamento eletrônico foi totalmente restabelecido, inclusive aquele utilizado pelo Ministério Público Federal – plataforma própria baseada no MNI. Revela ainda que houve uma orientação para que todos os usuários do STJ troquem suas senhas. 

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) informa que, passados nove dias do ataque hacker à sua rede de informática, o trabalho de recuperação dos sistemas apresenta cenário positivo além do previsto, estando praticamente restauradas as principais ferramentas, o que possibilita a retomada de todas as atividades da Corte – remota ou presencialmente –, inclusive a realização das sessões de julgamento.

Desde esta terça-feira (10), o Portal do STJ restabeleceu suas funcionalidades mais acessadas – entraram em operação os serviços de consulta processual e consulta de jurisprudência. Também estão no ar, de forma plena, o Portal da Intimação Eletrônica, a página da Intranet e toda a rede de telefonia. O serviço de peticionamento eletrônico foi totalmente restabelecido, inclusive aquele utilizado pelo Ministério Público Federal – plataforma própria baseada no MNI.

O sistema de geração de guias para recebimento de custas judiciais e de preparo foi restabelecido. Com isso, os advogados podem acessá-lo por meio do Portal do STJ e seguir as orientações de praxe.

Ainda nesta quarta-feira (11), volta a funcionar o Sistema do Pró-Ser, que faz a interface com a rede credenciada do plano de saúde dos servidores do STJ. O Diário de Justiça eletrônico (DJe) será publicado e disponibilizado em link (https://processo.stj.jus.br/processo/dj/init) do Portal do STJ, com decisões, acórdãos e despachos relacionados a cerca de 10 mil processos.

A autuação dos processos está sendo restabelecida gradativamente. Neste momento, a prioridade é para processos urgentes, tais como habeas corpus e mandados de segurança. Também nesta quarta, até as 16h, foram distribuídos aos ministros da Corte ou registrados ao presidente do STJ (dentro das hipóteses previstas no Regimento Interno) mais de 1.800 processos.

As orientações quanto às trocas das chaves de acesso por senhas fortes e com procedimentos de dupla autenticação – necessárias para o uso dos sistemas – estão sendo seguidas por todos, numa demonstração de compreensão da importância do papel de cada um para o reforço da segurança da infraestrutura.

Vale ressaltar o empenho da equipe da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação do STJ, com a colaboração do Comando de Defesa Cibernética do Exército brasileiro e do Serpro, para impedir novos ataques à rede do tribunal. Entre as providências, está a proibição, neste momento – e até nova ordem –, de ingresso na sede do STJ de equipamentos pessoais de informática, como notebooks.

A Presidência do STJ destaca que está atuando com prudência, responsabilidade e transparência, por meio de comunicados disponibilizados diariamente aos ministros, aos servidores, à imprensa e à sociedade, embasados em informações fornecidas pelos órgãos técnicos que estão atuando no reestabelecimento dos sistemas de informática do STJ.​

Fonte: Convergência Digital

12 de novembro de 2020

NOTÍCIAS RECENTES

Associados

Parceiros

Assessorias