TI puxa bom desempenho de Serviços em julho, diz IBGE

Em julho de 2020, o volume de serviços no Brasil cresceu 2,6% frente a junho, na série com ajuste sazonal, segunda taxa positiva seguida, acumulando um ganho de 7,9%. Esse resultado, contudo, sucede uma sequência de quatro taxas negativas (entre fevereiro e maio deste ano), período em que acumulou uma perda de 19,8%.

Na série sem ajuste sazonal, no confronto com julho de 2019, o volume de serviços recuou 11,9% em julho de 2020, quinta taxa negativa. No acumulado do ano, o volume de serviços caiu 8,9% frente a igual período de 2019. O acumulado nos últimos 12 meses (-4,5%) mantém trajetória descendente desde janeiro (1,0%), com o resultado negativo mais intenso desde julho de 2017 (-4,6%).

A expansão de 2,6% do volume de serviços de junho para julho foi acompanhada por quatro das cinco atividades investigadas, com destaque para os serviços de informação e comunicação (2,2%), que acumulou um ganho de 6,3% nos últimos dois meses, mas ainda sem eliminar as perdas de 9,2% dos cinco primeiros meses do ano.

No mês, o desempenho foi creditado pelo IBGE especialmente ao segmento de serviços de TI, que avançou 9% em julho, depois de ter crescido 9,7% em junho – e que no acumulado dos sete primeiros meses de 2020 registra desempenho positivo de 9,1%. 

Já serviços de telecomunicações pesam mais no acumulado do segmento como um todo. Segundo o IBGE, também com queda frente a julho de 2019, mas com menor impacto no índice geral, os serviços de informação e comunicação (-2,6%) perderam receita em telecomunicações, programadoras e atividades relacionadas à televisão por assinatura, atividades de exibição cinematográfica, operadoras de TV por assinatura por satélite e tratamentos de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na Internet.

 

Fonte: Convergência Digital

14 de setembro de 2020

NOTÍCIAS RECENTES

Associados

Parceiros

Assessorias