Ano terá R$ 78 milhões em editais para inovação no RS

Como continuidade das iniciativas voltadas para a transformação da matriz produtiva gaúcha a partir da inovação, o Rio Grande do Sul terá R$ 78 milhões em editais esse ano da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (SICT), sendo R$ 54 milhões da Fapergs e R$ 24 milhões diretos da pasta. Para a Uergs, serão R$ 8 milhões.
 
Os investimentos fazem parte do projeto Avançar na Inovação, lançado ano passado com o aporte histórico de R$ 112,3 milhões. “O Programa Avançar quer colocar inovação no centro da estratégia do governo”, ressalta o secretário da SICT, Luís Lamb. São recursos para lançamento e ampliação de editais do Inova RS, TechFuturo, TEC4B, Startup Lab e Gamers, entre outros.
 
Em um balanço de 2021 realizado ontem, Lamb apresentou um Guia de Implementação de Living Labs e aproveitou para relembrar as iniciativas realidades pela secretaria, que foi reativada no início da gestão deste governo, em 2019. Entre os avanços estão o lançamento do estudo de viabilidade do sistema de transporte Hyperloop, a publicação da Lei Gaúcha de Inovação, o lançamento do edital do Startup Lab e do Programa Inova RS, edital do Tech Futuro e outros marcos. Em outubro ocorreu a missão para a Europa, que culminou, por exemplo, com os acertos finais para a vinda do South Summit para Porto Alegre em 2022.
 
Em agosto de 2021, o programa Inova RS completou dois anos, com a implementação e consolidação dos oito ecossistemas regionais de inovação e de suas respectivas visões de futuro. “Queremos a participação do Rio Grande do Sul de forma mais competitiva globalmente. Precisamos transformar a produção de ciência em geração de riqueza, e neste sentido o Estado tem uma base instalada muito interessante”, destacou Lamb. O gestor destacou ainda a atuação conjunta, que tem feito com que o ecossistema de inovação gaúcho avance cada vez mais. “A quádrupla hélice pressupõe a atuação do governo, mas sempre em um trabalho realizado com a academia, os empresários e a sociedade civil”, reforçou.
 
 
O ecossistema de inovação gaúcho
  • 11,5% da produção científica nacional;
  • Mais de 1 mil doutores;
  • 16 parques científicos e tecnológicos;
  • 43 incubadoras;
  • 27 polos tecnológicos;
  • 30 instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação (ICTs);
  • 54 Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs); 
  • 141 instituições de ensino superior;
  • 8 Institutos Senai de Inovação e Tecnologia
 
Fonte: SICT
Confira alguns dos projetos regionais da SICT
Projeto Agrotech Norte: rede de inovações para as pequenas propriedades rurais que visa criar um movimento para o desenvolvimento e difusão de tecnologias em parceria com as universidades, poder público, iniciativa privada e da sociedade civil organizada. Um dos pilares é o Small Farm Hub, ambiente pioneiro voltado ao desenvolvimento de soluções tecnológicas para pequenas propriedades rurais inteligentes.
 
Rede de sensores inteligentes: implementação de uma rede de sensores inteligentes para o monitoramento de sistemas de irrigação na região Nordeste e nas Missões. A meta é tornar esses locais uma referência latino-americana no uso eficiente da água em sistemas de irrigação. Para isso, a partir do uso dos sensores, será desenvolvida uma plataforma digital pública que possibilitará processar e apresentar diversas informações da rede inteligente. A plataforma estará disponível para auxiliar na tomada de decisões de produtores, consultores, e da sociedade civil, independente de terem ou não a instalação dos sensores em suas propriedades.
 
Projeto RS³: As Tecnologias de Informação e Comunicação foram elencadas como área estratégica pelo Programa Inova RS da Região Metropolitana e Litoral Norte. Um dos principais objetivos é a criação de uma identidade digital federada voltada aos empreendimentos intensivos em conhecimento e tecnologia (como as startups) ligados a ambientes de inovação.
 
Circuito Startup Pampa: O Circuito Startup Pampa é o ambiente de inovação da Região Fronteira Oeste e Campanha, focado na capacitação sobre empreendedorismo, inovação e novas tecnologias, conectando universidades, empreendedores e investidores para incentivar o surgimento de startups no Pampa.
 
Hub de cidades inteligentes: o Ecossistema Regional de Inovação da Região Serra e Hortênsias tem mobilizado esforços para se tornar referência global na linha temática de cidades inteligentes. Com o hub, a perspectiva é construir de forma coletiva a implementação de um sistema de coleta de dados por dispositivos Internet das Coisas para cidades inteligentes. O sistema de sensoriamento prevê a coleta de dados ambientais, como nível de qualidade de ar, poluição sonora e trânsito de pessoas e veículos, para melhoria na tomada de decisões, aliando à pesquisa científica uma economia sustentável.
 
 
  • Fonte: Jornal do Comércio
  • Imagem: Freepik
  • 05 de janeiro de 2022

NOTÍCIAS RECENTES

Associados

Parceiros

Assessorias