Consumidores e LGPD: impactos da Lei no e-commerce

A maneira como os dados pessoais são utilizados pelas empresas tem deixado cada vez mais os consumidores preocupados. Além disso, a privacidade e a proteção de dados já é uma tendência no mercado, principalmente com a chegada da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e a crescente discussão sobre as práticas ESG (ações ambientais, sociais e de governança). 

Com isso, a privacidade e consentimento são aspectos cruciais no relacionamento entre empresas e consumidores. Atualmente, a coleta e o tratamento de dados estão deixando de ser uma preocupação apenas de TI e assumindo protagonismo nos negócios. 

Transparência e consentimento 

É necessário que o usuário saiba claramente qual a necessidade de serem solicitados determinados dados. Além disso, também deve-se evidenciar como os dados serão usados. 

O titular dos dados deve declarar o seu consentimento com a coleta e o uso de seus dados propostos pela coletora. Isto é, ele deve autorizar tanto a coleta quanto a utilização e o armazenamento. Ainda, o titular pode cancelar essa autorização e excluir todos os dados fornecidos a qualquer momento. 

Controle 

É importante informar ao titular dos dados como será feito o armazenamento das informações e determinar quando, como e por quem elas poderão ser acessadas. 

Caminhos para construir confiança com os consumidores 

Muitas empresas enfrentaram a implementação da LGPD como um grande problema. Isso porque o tratamento de dados pessoais por essas empresas eram feitos sem a devida responsabilidade. 

No entanto, a LGPD pode, na verdade, ser vista como uma oportunidade. As empresas que estão em conformidade com a Lei podem valer-se do tema para oferecer experiências personalizadas para os seus consumidores e, assim, ganhar uma enorme vantagem competitiva no mercado. 

Além disso, a LGPD pode ser um caminho de construção de confiança entre o negócio e o consumidor. Neste momento, em que os consumidores estão cada vez mais conscientes sobre o valor de seus dados, e consequentemente, mais exigentes, é indispensável que as empresas tenham isso em mente. 

No e-commerce é ainda mais fundamental, pois, a confiança se tornou um fator decisivo na hora das compras. 

 

  • Fonte: LGPDBrasil.com.br (E-commerce Brasil)
  • Imagem: Freepik
  • 21 de julho de 2022

NOTÍCIAS RECENTES

Associados

Parceiros

Assessorias