IDC revela as principais previsões para a TI nos próximos anos

Para competir em um mundo digital em primeiro lugar, as organizações precisarão priorizar seus investimentos em ferramentas digitais para aumentar os espaços físicos e ativos

A IDC divulgou suas previsões da indústria de Tecnologia da Informação (TI) mundial para 2022 e além. As previsões foram publicadas em um novo relatório do IDC FutureScape e apresentadas em um webinar ao vivo apresentado por Rick Villars. vice-presidente da IDC Group para Pesquisas Mundiais. Segundo ele, enquanto as forças disruptivas desencadeadas pela pandemia COVID-19 continuam a moldar o ecossistema global de negócios, uma tendência importante permanece inalterada: a marcha constante em direção a um mundo com prioridade para o digital.

Em 2022, a IDC espera que mais da metade da economia global seja baseada ou influenciada pelo digital, já que a maioria dos produtos e serviços utiliza um modelo de entrega digital ou requer aumento digital para permanecer competitiva. Para competir em um mundo digital em primeiro lugar, as organizações precisarão priorizar seus investimentos em ferramentas digitais para aumentar os espaços físicos e ativos. Como resultado, mais da metade de todos os investimentos em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) estarão vinculados à transformação digital até 2024.

“O digital é agora um elemento permanente, mas dinâmico em nosso mundo, e os próprios setores de TI e comunicações estarão entre os mais transformados nos próximos anos. Os CIOs devem estabelecer equipes de aquisição, desenvolvimento e operações que se alinhem a modelos de entrega de tecnologia centrada em serviços e resultados, enquanto a tarefa principal dos provedores de TIC é ajudar as empresas a compartilhar, usar, administrar e aumentar o valor dos dados”, disse Villars.

As dez principais previsões

Trazendo o digital-first para clientes e operações: em 2024, as empresas digital-first irão permitir experiências empáticas do cliente e modelos operacionais resilientes, mudando 70% de todos os gastos com tecnologia e serviços para modelos como serviço e centrados em resultados. Esses investimentos serão necessários para dar suporte a diversos modelos de engajamento do cliente e operações baseadas em dados.

Novos fundamentos da Nuvem: até 2023, 40% do G2000 redefinirá os processos de seleção de Nuvem para focar nos resultados de negócios em vez dos requisitos de TI, valorizando o acesso aos portfólios dos provedores de serviço do dispositivo à Borda, e dos dados ao ecossistema. Gerenciar, otimizar e proteger diversos recursos de Nuvem e conjuntos de dados representarão os desafios operacionais de tecnologias mais críticos para as organizações de TI.

A governança se torna uma tarefa principal para as equipes de TI: até 2023, 80% das empresas usarão serviços de governança associados à Nuvem e assistidos por IA para gerenciar, otimizar e proteger recursos e dados dispersos, mas 70% não alcançam o valor total devido a incompatibilidades de habilidades de TI. Praticamente todas as organizações de TI veem as principais barreiras em sua capacidade de empregar com eficácia a automação com foco na governança em toda a empresa.

A entrega como serviço se torna difusa: em 2022, 40% dos orçamentos de TI das grandes empresas serão redistribuídos devido à adoção de pacotes integrados como serviço em áreas de segurança, plataformas em Nuvem, espaço de trabalho virtual e conectividade. Embora os benefícios de agilidade, aprimoramento rápido e alinhamento com o uso real dos negócios sejam bem reconhecidos, as equipes de TI precisarão monitorar constantemente a inflação do portfólio.

As transições de tecnologia sistêmica estão chegando: até 2026, os líderes do setor enfrentarão transições sistêmicas ou obrigatórias na próxima década, que triplicarão os gastos com TI em novos ambientes, devendo lutar para alcançar os ganhos necessários em eficiência operacional de TI. As organizações de TI em muitos setores são aconselhadas a começar a pensar agora sobre como várias mudanças sistêmicas (ou seja, 5G, veículos elétricos, blockchain) influenciarão os planos e prioridades de tecnologia de suas organizações.

Automatizar e aumentar: até 2024, 70% do G2000 ganhará o dobro, em termos de retornos significativos, em investimentos em tecnologia que aumentam as atividades de funcionários e clientes em comparação com aqueles que automatizam processos individuais. Os maiores ganhos virão de esforços abrangentes que enfatizam o aumento das experiências e atividades de tomada de decisão de clientes, pacientes, alunos e trabalhadores.

Gerenciamento de dados apresenta desafios e oportunidades: em 2025, as divergências regionais em privacidade de dados, segurança e mandatos de colocação/uso/divulgação forçarão 80% das empresas a reestruturar seus processos de governança de dados baseados em uma base autônoma. Organizações bem-sucedidas usarão a soberania digital como um estímulo crítico para novos investimentos em planos de controle de recursos/dados e direcionar os esforços de automação de TI que reduzem os riscos de confiança em áreas como segurança cibernética, ao mesmo tempo que fornecem uma base para novas experiências de clientes, experiências de funcionários e esforços de operações remotas.

Repensando a experiência digital: em 2023, 50% do G2000 mudará metade de seus gastos com hardware/conectividade de nova tecnologia para modernizar e reconceituar experiências pessoais para clientes e funcionários em seus próprios locais. As organizações que oferecem experiências otimizadas digitalmente para trabalho, lazer e espaços de saúde estabelecerão uma vantagem de longo prazo na captura e retenção da fidelidade do cliente.

A sustentabilidade se torna real: em 2025, 60% do G2000 terá equipes de Sustentabilidade Digital, encarregadas de avaliar, certificar e coordenar o uso de dados de sustentabilidade de negócios e TI e plataformas analíticas oferecidas por fornecedores de TIC. Nos próximos anos, novas ferramentas, dados e análises facilitarão o estabelecimento de metas de sustentabilidade significativas, mas a forma de como atender a esses objetivos regulatórios e de negócios continuará sendo um desafio.

Os controles de dados serão examinados: em 2025, as avaliações das empresas públicas serão baseadas tanto na confiança dos controles de dados para o uso adequado/eficaz dos dados, quanto nos controles financeiros, com foco no aumento dos gastos em soluções centradas em dados. Os líderes de TI devem priorizar a seleção de parceiros de tecnologia e serviços com base em sua capacidade de lidar com os desafios mais importantes.

 

  • Fonte: InforChannel.com.br
  • Imagem: InforChannel.com.br
  • 27 de outubro de 2021

NOTÍCIAS RECENTES

Associados

Parceiros

Assessorias