Salux investe na NoPaper

Serão R$ 20 milhões em três anos. Startup é nova, mas tem nomes de peso por trás.

A Salux anunciou um plano de investimento de R$ 20 milhões nos próximos três anos na NoPaper, uma startup de gestão documental e comunicação para a área de saúde.

O valor inclui um pagamento de valor não revelado, por uma participação também não revelada na NoPaper. A outra parte do investimento será no desenvolvimento do produto.

A NoPaper foi fundada no ano passado em Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador, na Bahia, e a Salux também não abre informações sobre o tamanho da base instalada ou faturamento da startup.

A decisão de investir provavelmente se deve à tecnologia e aos nomes envolvidos na criação da NoPaper.

Um dos fundadores da startup é André Silveira, que no passado desenvolveu a MedicWare, uma fornecedora de software de gestão de informações para hospitais (HIS, na sigla em inglês), soluções de prontuário eletrônico, gestão clínica e de laboratório.

A MedicWare foi comprada em 2014 pela catarinense Pixeon, uma das líderes do segmento no país.

O outro fundador é Elton Mota, um profissional com passagens por cargos na área administrativa de grandes hospitais baianos como o Incar, Cárdio Pulmonar e Aliança (Mota também foi gerente de projetos da Pixeon por um curto período).

Com a entrada em cena da Salux, Silveira assume como CTO, Mota como COO e o CEO da empresa será Ricardo Messias, que até então atuava na área de vendas nacionais da Salux.

Messias, que também foi gerente de vendas na Pixeon entre 2013 e 2018, é um executivo experiente na área de gestão de documentos, com passagem em algumas empresas especializadas na área.

“Acredito que será uma troca muito grande valiosa entre as expertises. Eles agregando os conceitos de digitalização e a Salux, todo o seu conhecimento de mercado de saúde”, afirma Murilo Fernandes, CEO da Salux Technology.

A Salux é uma empresa de software de gestão para área hospitalar, com 250 clientes espalhados pelo país.

A empresa vem aparecendo bastante, depois do grupo SBPar pagar R$ 50 milhões por uma participação de tamanho não revelado na Salux, um negócio anunciado em agosto de 2021.

Fernandes, o CEO da Salux, veio com a entrada do fundo. 

Até março de 2021, Fernandes era gerente de canais e alianças da Wolters Kluwers, uma multinacional holandesa que fornece software para ajudar médicos no suporte a decisões clínicas e de prescrição de medicamentos.

Fernandes também passou por cargos na área de vendas na Unika Healthcare, Agfa HealthCare, Kodak e GE, trabalhando sempre com tecnologia para área médica.

Em abril, a Salux anunciou a compra de 50% da Skymed, dona de uma solução de gestão clínica específica para anestesiologistas. 

A Skymed foi fundada em 2020 e está instalada no Instituto Caldeira, um hub de inovação que é um endereço badalado em Porto Alegre no momento.

O CEO é Jean Concílio, que já foi CIO do Grupo Cortel, uma grande administradora de cemitérios, além de CFO da Domum, uma empresa do ramo de anesteologia.

Em dezembro do ano passado, adquiriu a Med.place, proprietária de uma solução inovadora de telerradiologia. 

 

  • Fonte: Baguete.com.br
  • Imagem: Freepik
  • 14 de julho de 2022

NOTÍCIAS RECENTES

Associados

Parceiros

Assessorias